domingo, 5 de janeiro de 2014

Porky's IV - A Vingança do Suíno

- Em que estavas pensando, menino? 
- Eu pensava no céu. 
- Não é necessário que penses no céu; já é bastante pensar na terra, estás cansado de viver, tu que mal acaba de nascer? 
- Não, mas qualquer um prefere o céu à terra. 
- Pois bem, eu não. Pois já que o céu foi criado por deus, assim como a terra, podes estar certo de que lá encontres os mesmos males que aqui embaixo. Depois da tua morte, não serás recompensado de acordo com teus méritos; pois, se cometem injustiças nesta terra (como tu o perceberás, por experiência própria, mais tarde), não há motivo para que, na outra vida, não se cometam outras tantas.
O melhor que tens a fazer é não pensar em deus, e praticar a justiça por tuas próprias mãos, já que esta te é recusada... Desejas riquezas, belos palácios e a glória? Ou me enganaste quando afirmaste essas nobres pretensões?
- Não, não, eu não o enganava. Mas queria alcançar o que desejo por outros meios.
- Então, nada alcançarás. Os meios virtuosos e bem intencionados não levam a nada. É preciso por em ação alavancas mais enérgicas e tramas mais sábias. Antes que te tornes célebre pela virtude, e assim alcances tua meta, uma centena de outros terá tido tempo de saltar sobre tuas costas, e chegar ao fim da corrida antes de ti, de forma que não haverá mais lugar para suas idéias estreitas.


(Lautréamont, Cantos de Maldoror)

Arquivo do blog

Seguidores