sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012



SÁBADO

O novo ser come demasiada fruta. O mais provável é que nos vá fazer falta. NÓS de novo! Essa palavra era do ser... É também minha, agora, de a ouvir tantas vezes. Muito nevoeiro esta manhã. Eu não saio para o nevoeiro. O novo ser sai. Sai com todo o tipo de tempo e regressa com os pés enlameados. E fala. Costumava ser tão prazenteiro e sossegado por aqui...

DOMINGO
 
Agüentei-me. Este dia está cada vez mais desgastante. Tinha sido selecionado e posto de parte em Novembro passado como dia de descanso. Esta manhã avistei o novo ser buscando deitar ao chão maçãs daquela nova árvore proibida.

SEGUNDA-FEIRA

O novo ser diz que se chama Eva. Tudo bem. Não tenho objeções. Diz que é para o chamar quando queira que ele venha. Eu disse que, nesse caso, era supérfluo. Esta palavra fez-me subir na sua consideração e é, de fato, uma longa e boa palavra capaz de suportar a repetição. O novo ser diz que não é um ser, mas uma Ela. Dúvido, mas tanto me faz. O que Ela seja não me faria diferença se Ela se metesse na sua vida e não falasse.

Mark Twain, Diários de Adão e Eva

Arquivo do blog

Seguidores