domingo, 21 de agosto de 2011

UMA DAS MAIS QUENTES

ela usava uma peruca de um loiro platinado
e tinha a face carregada de rouge e pó
e não economizava no batom
traçando uma enorme boca pintada
e seu pescoço era coberto de rugas
mas ainda tinha o rabo de uma garota
e as pernas eram boas.
ela usava calcinhas azuis que eu baixei e
ergui seu vestido, e à luz bruxuleante da TV
tomei-a de pé.
enquanto nos digladiávamos ao redor do quarto
(estou fodendo uma cova, pensei,
trazendo mortos de volta à vida, maravilhoso
tão maravilhoso
como comer azeitonas geladas às 3 da manhã
com metade da cidade em chamas)
gozei.

vocês podem ficar com suas virgens, rapazes
dêem-me velhas gostosas no alto dos seus saltos
com rabos que esqueçam de envelhecer.

claro, você tem que dar o fora depois
ou ficar muito bêbado, o que é a mesma
coisa.

bebemos vinho por horas e assistimos tevê
e quando fomos para a cama
para dormir
ela não tirou os dente da boca
a noite toda.

Charles Bukowski, O Amor é um Cão dos Diabos

Arquivo do blog

Seguidores